As divisões de Mato Grosso

A última divisão culminou com a criação

do estado de Mato Grosso do Sul

Reprodução

 

 

Mato Grosso é o terceiro maior estado brasileiro em extensão territorial. Tem área superior a 903.366 km2, e foi maior que o atual estado do Pará.Todas as alterações de tamanho  ocorreram no século XX, através de três divisões, uma reincorporação e uma sessão de terras. Na segunda metade do século XVII (1650 em diante) e início do século XVIII nossa região era visitada esporadicamente por desbravadores e curiosos que cortavam o território brasileiro de leste a oeste, numa marcha de reconhecimento do interior da colônia.

Quando da fundação de Cuiabá em 1719, toda esta região pertencia à capitania de São Paulo e Minas , que em 1720 foi separada pelo governo português e nosso território passou à novel capitania de São Paulo, inclusive,tendo Cuiabá como capital durante 18 meses(1726 - 1728).

Mato Grosso é elevado à condição de Capitania real (porque pertencia a Portugal e não a Donatários privados) em 1748,separando se da Capitania de SP.MT já nasceu imenso,gigante,com mais de 1,4 milhões de Km2, tamanho que se manteve até 1943.

Foi nos governos do presidente da República Rodrigues Alves(1902 - 1906) e de Totó Paes em MT(1903 - 1906) que houve a primeira alteração no tamanho de MT,quando cedemos 1000 Km2 à Bolívia, atendendo exigência da República vizinha na ampla negociação diplomática que culminou com a compra do Acre pelo Brasil em 1903, materializada no Tratado de Petrópolis.

A segunda redução do território mato-grossense ocorreu em 1943, com o presidente Getúlio Vargas,criando seis Territórios Federais no Brasil, dois em terras mato-grossenses (Guaporé e Ponta Porã).Guaporé vingou e em 1956 passou a chamar-se Rondônia (Rondon, o homenageado,vivia no Rio de Janeiro) e Ponta Porã teve vida curta, apenas 3 anos e foi reincorporado a MT.

A última divisão culminou com a criação do estado de Mato Grosso do Sul, feita pela Lei Complementar nº 31, de 11 de outubro de 1977, com 357.145 Km2 de terras, exclusivas de MT.

Atualmente existem no Congresso Nacional vários projetos que propõem novas divisões em MT, de autoria do deputado Welington Fagundes (estado do Araguaia e estado de MT do Norte)  dos ex-deputados Rogério Silva (estado do Mato Grosso do Norte) e Fernando Gabeira (Território do Pantanal) e do Senador Mozarildo Cavalcante de Roraima (estado do Araguaia) e do ex-senador José Roberto Arruda (estados de Aripuanã e do MT do Norte). 

WILSON SANTOS é professor e ex-Prefeito de Cuiabá.