Assaltante morto em troca de tiros com o Bope é acusado de uma série de assaltos no PA e MT

Olhar Direto

Rafael Trindade / Eldorado FM

 

Um dos assaltantes mortos em troca de tiros com Batalhão de Operações Especiais (Bope), segunda-feira (16), em Vila Rica (1.259 km de Cuiabá) trata-se de fato de Antônio Moura, o “Nego Véi”, procurado pela polícia por uma série de assaltos a banco no Pará e em Mato Grosso. Ele é um dos elementos do Novo Cangaço que saqueou dia 09 de setembro três bancos (Bradesco, Banco do Brasil e Sicredi) e os Correios de Vila Rica.

Ela usava o nome falso de Antônio Oliveira. O delegado Flávio Stringueta, chefe da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Civil, informou que Moura é acusado de ter participado de dois assaltos na cidade de Santana do Araguaia (PA), onde ocorreu um confronto que resultou na morte de um policial.

Moura é acusado de ter participado do assalto ao Banco do Brasil de Querência em 2012. Em junho do ano passado, foram presos em Fortaleza (CE) sete companheiros de Moura, esfacelando o grupo liderado por ele. No estado do Ceará, Moura agiu juntamente com uma quadrilha de doze integrantes e alguns deles podem estar entre os 25 que praticaram o assalto em Vila Rica.

Além de Moura, morreu na troca de tiros com o Bope Cássio de Almeida Souza, de 28 anos, cujo nome está sendo checado, pois existe a suspeita de se tratar de identidade falsa. Um integrante do bando de nome Bruno da Silva Aguiar, que estava com documento falso, foi preso e segundo informação foi recambiado para Cuiabá por falta de segurança na cadeia de Vila Rica. Com os bandidos mortos, os policiais apreenderam um fuzil AK 47, calibre 7,62mm e uma pistola ponto 40, cinco carregadores e munições e foram recuperados R$ 15,6 mil, em dinheiro.

O comandante da PM em Vila Rica, coronel Araújo, informou por telefone ao Olhar Direto que cerca de cem homens entre policiais militares e equipes do Bope e GOE de Cuiabá e Força Tática de Barra do Garças permanecem na mata na divisa de Mato Grosso e Goiás no encalço dos demais integrantes da quadrilha. Um helicóptero reforça o trabalho de caça aos bandidos do Novo Cangaço