Catadora devolve a hospital de Câncer de Barretos R$ 250 mil em cheques achados no lixo; O dinheiro tinha sido arrecadado em um leilão beneficente feito no Mato Grosso

Ana Maurícia, ao lado do filho, mostra cheques encontrados no lixo; ela deve ganhar agora um novo emprego - Foto: Jornal de Barretos

Uma catadora de recicláveis encontrou no lixo cheques que somavam R$ 250 mil doados ao Hospital do Câncer de Barretos (423 km de São Paulo). Ela devolveu o dinheiro à instituição, que agora deve contratá-la.

Ana Maurícia dos Santos Cruz, 23, recolhia os recicláveis, na manhã de sexta-feira (23), em um depósito da prefeitura quando encontrou os cheques, que haviam sido jogados no lixo por engano. Eles estavam em um envelope, dentro de uma agenda. Sem saber sobre os cheques, ela levou a agenda para casa.

Depois do dia de trabalho, ao chegar em casa, por volta das 19h, ela foi olhar a agenda na esperança de utilizá-la e achou os cheques. O dinheiro tinha sido arrecadado em um leilão beneficente feito no Mato Grosso.

""Eu peguei a agenda, achei muito bonita e coloquei dentro do caminhão. Mas não cheguei em momento nenhum a olhar a agenda por dentro. De noite,quando chegueiem casa, abri a agenda e achei o envelope. Levei um susto com tanto cheque graúdo", afirmou.

No dia seguinte, ela procurou o hospital e pediu para falar com o diretor-geral da instituição, Henrique Prata.

"Ele estava viajando, mas depois consegui falar com ele e contei o que tinha acontecido e que queria devolver. Ia marcamos e fui até lá entregar", disse.

História

Ana Maurícia recebe salário mensal de aproximadamente R$ 850. Casada e com o marido preso há dois anos --tem outros dois a cumprir--, ela vive com os pais e um filho de três anos e é responsável pelo sustento da casa.

A catadora disse que não teve nenhuma dúvida sobre devolver os cheques. "Esse dinheiro toda é para ajudar as pessoas, as crianças. Nem pensei em outra coisa", afirmou.

Essa não foi, no entanto, a primeira vez que Ana Maurícia encontrou algo de valor entre os reciclados.

"Há mais ou menos três meses, fomos no mercado pegar papelão e encontramos uma máquina debaixo da pilha. Aí fui devolver e o gerente disse que valia mais de R$ 50 mil", disse. "Fomos criados assim, uma vida simples, mas com honestidade", afirmou.

Entrega

Ana Maurícia foi recebida por Prata nesta semana e entregou os cheques. O presidente do hospital agradeceu o gesto.

"Foi um extravio, temos humildade de reconhecer o erro, mas o importante é que a Ana representa para nós um orgulho. Uma pessoa de Barretos, da nossa casa, teve um gesto de solidariedade, de honestidade", disse.

Prata resolveu, então, presentear a catadora com a agenda que ela havia achado e também com uma oferta de emprego para trabalhar na instituição.

"Nós queremos ela como caráter, como uma pessoa de bem, e tem tudo para trabalhar aqui. Não precisamos perguntar para ninguém para saber que ela é uma pessoa honesta e ativa", disse. A função de Ana Maurício ainda não foi definida.

A catadora ficou emocionada com a possibilidade de trabalhar no hospital. "É uma coisa que eu sempre quis, mas não imaginava que iria realizar", afirmou.

Segundo Luiz Zardini, gerente de captação do Hospital do Câncer, a intenção agora é descobrir como esses cheques foram parar no lixo.

"Quem faz doação ao hospital pode ficar tranquilo e ter a certeza de que aqui se trabalha com muita transparência e atenção cada centavo doado", disse.

 

Escrito por Eduardo Schiavoni Do UOL, em Americana (SP)