DNA aponta que brasileira morta na Itália estava grávida do chefe

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)


O resultado de um exame de DNA confirmou nesta quarta-feira que o italiano Claudio Grigoletto, dono da empresa Alpi Aviation do Brasil, era o pai do bebê que a brasileira Marilia Rodrigues da Silva, 29 anos, estava esperando.

Grigoletto, que era chefe de Marilia, é o principal suspeito de ter assassinado a brasileira, que foi encontrada morta na última sexta-feira, no escritório da empresa, em Gambara, no norte da Itália. Ela estava grávida de cinco meses.

A prisão de Grigoletto foi confirmada na manhã desta quarta-feira, depois de um longo interrogatório iniciado na noite anterior. O italiano assumiu à polícia que tinha um relacionamento amoroso com a vítima, e não descartou que poderia ser o pai do bebê que ela esperava.