Exclusivo: Índios ocuparam o prédio do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) de São Félix do Araguaia levaram carros e continuam exigindo a presença do Secretário Antonio Alves

14/10/2014 16:25

 14/10/2014 - Exclusivo: Índios ocuparam o prédio do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) de São Félix do Araguaia levaram carros e continuam exigindo a presença do Secretário Antonio Alves

O Coordenador do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) de São Félix do Araguaia/MT Sr. Milton Martins de Souza, estava retido desde o último dia 09 de outubro na aldeia indígena Fontoura localizada na Ilha do Bananal, entre Mato Grosso e Tocantins, com ajuda de funcionários da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) conseguiu fugir nesta madrugada de terça-feira (14),

Cerca de 30 indígenas ocuparam o prédio da SESAI Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) no município de São Félix do Araguaia e levaram nesta terça-feira (14) dois carros e um barco do local para a aldeia, a ocupação ocorreu por volta das 12h30min.

De acordo com um dos líderes do movimento Samuel Karajá, a ação é um protesto pela deficiência no atendimento médico aos povos indígenas da região. O pólo não atende as demandas da aldeia Fontoura e entre outras. Entre os principais problemas destaco a falta de medicamentos e transporte para levarmos das aldeias até a sede onde é realizado o atendimento.

Já sendo informados que os indígenas estavam furiosos com a fuga do coordenador Milton os funcionários não compareceram no prédio da SESAI e os índios reivindicam a troca da coordenadoria e melhorias no sistema de saúde.


Os índios reclamam da falta de assistência aos índios, bem como apontam um número crescente de mortes entre eles. Ainda segundo ela, os índios entregarão os carros de volta somente quando o secretário Antônio Alves atender as reivindicações, exigidas pelos índios da etnia Karajá.


De acordo com um dos líderes do movimento Edmilson Karajá: “A questão da saúde que ta muito precária. Não tem carro, remédio, é um desespero. São não sei quantos milhões de reais, mas os recursos tão sendo aplicados aonde?”, questionou. “Estamos reivindicando nosso direito. As crianças estão morrendo e nós temos como provas com as certidões de óbito. Isso é um grito de socorro dos povos Karajá que estão sofrendo”, desabafou o líder, Edmilson.


Segundo informações de um funcionário do SESAI, disse que no momento da fuga os indígenas estavam distraídos. A fuga de Milton causou ainda mais revolta nos indígenas da aldeia Fontoura, que estão se dirigindo para o prédio da SESAI, pronto para guerra.

Apesar de Milton ter conseguido sair da aldeia, os indígenas continuam cobrando a presença do secretário Antônio Alves no local para que ele veja de perto a realidade das comunidades indígenas nos serviços de saúde e negocie melhorias.

 

 

Mais informações a qualquer momento.


 

Vanessa Lima/O Repórter do Araguaia