Bebê e mulher seguem em estado grave na UTI após tiroteio

A criança, de 6 meses, foi atingido no abdômen e a bala se alojou nas costas. Ele passou por cirurgia e segue em observação


DA REDAÇÂO

O bebê de seis meses atingido por dois tiros, sendo um na mãe e um no abdômen, e a mulher de 33 anos, atingida por um tiro no tórax, durante tiroteio na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do bairro Morada do Ouro, em Cuiabá, na terça-feira (13), continuam em estado grave. Ambos passaram por cirurgias e estão internados em Unidades de Tratamento Intensivo, no Pronto-Socorro de Cuiabá.

“Ele passou por procedimentos ortopédicos, está na UTI pediátrica sendo acompanhado pela equipe clínica para tratar a pneumonia, que já tratava na UPA, quanto para a questão do trauma”, conta a secretária.

 

“Ele passou por procedimentos ortopédicos, está na UTI pediátrica sendo acompanhado pela equipe clínica para tratar a pneumonia, que já tratava na UPA, quanto para a questão do trauma”, conta a secretária.Conforme informações da secretária municipal de Saúde, Elizeth Araújo, a bala que atingiu a barriga do bebê se alojounas costas dele.

“Ela teve um trauma torácico, passou por um procedimento, fez a drenagem do tórax e está em estado um pouco mais grave”, detalha Elizeth.

 

“Ela teve um trauma torácico, passou por um procedimento, fez a drenagem do tórax e está em estado um pouco mais grave”, detalha Elizeth.A situação da mulher é mais preocupante.

A mãe da criança foi atingida por um tiro no braço esquerdo e está bem fisicamente, porém, extremamente abalada com o atentado.

O agente penitenciário, atingido por tiro na coxa, passou por cirurgia e está sob a supervisão de uma equipe de cirurgia vascular.

A última vítima, uma enfermeira da UPA, atingida na perna, recebeu alta médica e se recupera em casa.

O atentado

O crime aconteceu no início da noite de terça-feira (13) quando dois bandidos invadiram a UPA para resgatar um preso.

Eles teriam feito uma mulher refém, contudo, os agentes penitenciários, que faziam a escolta do preso, em rápida ação evitaram o resgate. 

Houve troca de tiros, resultando nos cinco feridos. Cápsulas de projéteis de armas de fogo foram recolhidas no local e serão encaminhadas à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), que também esteve no local realizando a coleta de vestígios para auxiliar nas investigações da Polícia Civil.

Os criminosos fugiram e as Polícias Civil e Militar trabalham para identificar e prendê-los.

O preso, José Edmilson está detido no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC) e responde por homicídios e não foi resgatado