Rede de Frente lança festival de música para jovens, em Barra do Garças

08/08/2018 15:55

08/08/2018 - Rede de Frente lança festival de música para jovens, em Barra do Garças

As escolas de educação básica foram convidadas a participarem da 2ª edição do projeto “Meu Corpo, Minha Voz, Meu Direito”, da Rede de Enfrentamento à Violência Doméstica contra a Mulher (Rede de Frente). Esse ano, a iniciativa tem o formato de festival de música, que premiará, no dia 7 de dezembro, os intérpretes solo ou em dueto de três músicas campeãs. As inscrições devem ser feitas entre os dias 10 e 12 de setembro pelas escolas.

Os alunos aptos a participarem do concurso devem estar entre o sexto ano do ensino fundamental e o terceiro ano do médio. Escolas públicas e privadas de Barra do Garças e dos distritos podem inscrever até 10 participações musicais, entre as quais são possíveis apresentações solos e duetos. Serão aceitas músicas autorais ou paródias.

“Nós teremos um período de audições em que uma comissão, formada por membros da Rede de Enfrentamento e técnicos, irá até todas as escolas inscritas para uma pré-seleção”, destaca a promotora de justiça Hellen Uliam Kuriti, membro da Rede. Segundo ela, a comissão vai selecionar um representante de cada escola.

Os selecionados irão gravar suas faixas em um estúdio profissional, custeado pelo festival, e serão submetidos a uma nova comissão julgadora. Os três primeiros colocados vão ser anunciados no dia do festival, que ocorre em 7 de dezembro, na arena do Porto do Baé. Além das premiações a cada vencedor, R$ 1.000, R$ 700 e R$ 500, de primeiro a terceiro colocado, o concurso ainda premia as escolas com a realização de benfeitorias. “Elas serão feitas pelos recuperandos das cadeias públicas de Barra do Garças em um convênio que nós temos com o fórum e com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh)”, explica, Hellen.

As inscrições podem ser feitas pelas escolas gratuitamente na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher entre os dias 10 e 12 setembro. As peças musicais devem obedecer às regras do regulamento e, sobretudo, estarem de acordo com a proposta temática do festival, voltada ao combate da violência doméstica e da criança e do adolescente. Acesse o edital aqui.

Desde 2014, a Rede de Frente trabalha a conscientização através da interação com a juventude. Nos três primeiros anos, a estratégia optou pelas mostras de vídeo, às quais escolas e universidades participaram. Em 2017, a Rede promoveu a 1ª edição do projeto “Meu Corpo, Minha Voz, Meu Direito”, com uma mostra de teatro.

Segundo a promotora Hellen, o objetivo é desconstruir preconceitos, estereótipos e auxiliar na formação de uma personalidade aos jovens voltada a igualdade de gênero. “Trabalhar com jovens significa formar cidadãos que realmente compreendem a necessidade de se respeitar mulheres, crianças e adolescentes. Que possam constituir suas famílias pautadas no respeito e no companheirismo.”

 

FONTE: Semana 7/Kayc Alves